Honeywell oferece melhor desempenho ao Embraer Legacy 450

embraer-legacy-450-press-apresentation-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose (5)

Vários produtos da Honeywell Aerospace ganharam destaque  recentemente, como parte do novo jato executivo mid-light da Embraer, o Legacy 450. O jato oferece melhor velocidade, alcance e performance em campo e recebeu o certificado da Administração Federal de Aviação e da Agência Europeia para a Segurança da Aviação. A Honeywell oferece para o novo jato da Embraer os principais motores de propulsão, a Unidade de Energia Auxiliar, o Controle de Pressão de Cabine e o Sistema de Gerenciamento de Cabine Ovation Select.

“O Legacy 450 estabelece um novo padrão para os aviões de sua categoria. Ele oferece um novo nível de velocidade, eficiência e conforto, além de ser o jato mid-light mais rápido que está no ar”, afirma Brian Sill, presidente da equipe de negócios e aviação geral da Honeywell Aerospace. “A gama de produtos Honeywell a bordo da aeronave dá aos clientes as ferramentas que necessitam para alcançar seu destino mais rápido, enquanto permanecem produtivos e entretidos.”

“A tecnologia Honeywell permitiu que o Legacy 450 alcançasse padrões que nunca se pensou serem possíveis de atingir”, diz Luciano Castro, vice-presidente de programas de jatos executivos da Embraer. “Com a confiabilidade e a performance superior dos motores e a experiência aprimorada oferecida pelo sistema de gerenciamento a bordo, nós somos capazes de produzir um jato superior para o seguimento mid-light.”

O motor turbofan HTF7500E da Honeywell foi desenvolvido especificamente para o Legacy 500 e o Legacy 450, da Embraer. Ele oferece melhor eficiência de combustível, confiabilidade e facilidade de manutenção, enquanto reduz emissão de gases e ruído, dando ao jato melhor acesso aos aeroportos ao redor do mundo com recursos que permitem decolagem e pouso em pistas curtas. O motor é desenhado para ser ecologicamente correto, proporcionando margem significativa para o comitê da Organização Internacional de Aviação Civil nos padrões de proteção ambiental da aviação para todos os critérios de poluentes. O motor eficiente HTF7500E é projetado para reduzir ainda mais as emissões de CO2 enquanto baixa os custos operacionais de aeronave por meio do consumo reduzido de combustível e manutenção.

O sistema de gerenciamento de cabine Ovation Select do Legacy 450 permite que os pilotos se mantenham produtivos e entretidos durante o voo, focando no trabalho ou tirando proveito  de um sistema de entretenimento com tecnologia de ponta.  Por conta do Ovation Select, a cabine inclui monitores individuais e controles sem fio para iPad e iPhone, totalmente integrados com o áudio e com o vídeo. Os pilotos também podem integrar com perfeição seus dispositivos eletrônicos pessoais dentro da cabine por meio de um simples plug dentro do avião. Há também os aparelhos de Blu-ray de alta definição, incluindo entradas para HDMI e USB.


Produtos Honeywell no Legacy 450

  • O motor HTF7500E turbofan proporciona um equilíbrio ideal entre performance, baixo custo de manutenção e alta confiabilidade para os operadores de jatos. Além de fazer com que o Legacy 450 seja o mais rápido jato mid-light no ar, os operadores podem decolar e pousar em pistas mais curtas, fazendo com que mais aeroportos do mundo sejam acessíveis.
  • A Unidade de Energia Auxiliar 36-150EMB APU oferece energia pneumática e elétrica para a aeronave tanto no solo como no ar. A APU tem 10% mais fluxo e pressão que os modelos anteriores, além de ser mais rápida e ter uma iniciação da partida do motor principal mais refrigerada, o que reduz a quantidade de manutenção e custos que seriam necessários para manter a aeronave por um longo período. Ela trabalha com um ponto de carga inferior, para reduzir o consumo de combustível e melhorar a confiabilidade.
  • O Sistema de Gerenciamento de Cabine Ovation Select coloca a iluminação, o assento, a temperatura e os controles das refeições nas mãos dos passageiros, ao mesmo tempo que permite que eles fiquem informados e conectados com seu trabalho durante a viagem. A bordo do Legacy 450, os passageiros têm dois displays de 17,5 polegadas ou 20 polegadas em alta definição e mais nove monitores individuais de 9 polegadas para entretenimento.
  • Sistema Integrado de Controle de Ambiente (ECS) inclui sistema de ar condicionado, controle de pressão da cabine, sistema suplementar de refrigeração e ventilação, oferecendo uma experiência mais confortável aos passageiros, minimizando mudanças no ambiente da cabine e reduzindo a carga de trabalho da tripulação. O ESC da Honeywell possui as soluções de mais alta eficiência e menor peso da indústria, oferecendo ao Legacy 450 uma redução de consumo de combustível.

Fonte: Honeywell.

Honeywell reforça portfólio aeroespacial com aquisição de Aviaso

Cortesia: Honeywell.

Cortesia: Honeywell.

A Honeywell adquiriu a empresa de capital fechado Aviaso, uma companhia internacional de software de aviação que oferece eficiência de combustível e softwares que poupam emissões de gases para a indústria de aviação. Os termos do acordo não foram divulgados.

Os softwares da Aviaso reúnem dados sobre o uso de combustível da aeronave, identificam e comunicam aos clientes de companhias aéreas as maneiras mais viáveis para economizar combustível através de uma interface de software simples e intuitiva. O consumo de combustível pode ser entre 20% e 40% dos custos operacionais de uma companhia aérea e cada porcentagem de aprimoramento na eficiência pode poupar o gasto de dezenas de milhares de dólares em combustível. A Aviaso também fornece um software que faz relatórios de emissões, bem como consultoria e treinamento para a eficiência de combustível e gerenciamento de emissões.

Os produtos e serviços da companhia irão reforçar a ampla oferta de serviços da Honeywell e aproveitar a já existente conectividade, manutenção e planos de voos operacionais da empresa.

 “ A Aviaso traz novos produtos para nossas ofertas de serviços aeroespaciais juntamente com diversas oportunidades para a Honeywell oferecer aos nossos clientes de companhias aéreas uma suíte completa de serviços que melhoram a performance e a segurança da aeronave”, diz Carl Esposito, vice-presidente de marketing e gestão de produtos da Honeywell Aerospace. “ Essa aquisição fortalece a liderança da Honeywell em entregar soluções eficientes de energia aos nossos clientes e acrescenta serviços de gestão de combustível cada vez mais valiosos para o nosso crescente portfólio”.

“A Honeywell é uma pioneira na indústria de aviação e estamos animados para somar nossas capacidades para esta suíte de serviços”, diz Rudolf Christen, diretor da Aviaso. “ A combinação de nossas tecnologias e equipes experientes vão resultar em novos produtos que ajudarão as companhias aéreas ao redor do mundo a obterem economia através da eficiência de combustível”.

Além de fortalecer o portfólio de produtos da Honeywell, a aquisição também amplia a presença da empresa na Europa e em outras regiões que a Aviaso opera, como uma oportunidade de expansão em outros locais mais maduros e bem desenvolvidos. Com sede em Zurich, na Suiça, a Aviaso também opera uma unidade de desenvolvimento em Sofia, na Bulgária.

Fonte: Honeywell.

Tecnologia Honeywell mantém pilotos seguros e confortáveis em novo jato instrutor

Cortesia: Honeywell.

Cortesia: Honeywell.

Honeywell Aerospace assinou um acordo para fornecer seu Sistema de Controle de Ambiente e Sistema de Controle de Pressão de Cabine para o novo jato instrutor de máxima eficiência da Alenia Aermacchi, o M-345, que entrará em serviço em 2018.

Projetado para resfriar a aeronave, os controles de cockpit de pressurização e temperatura da Honeywell, Sistema de Controle de Ambiente (ECS) e Sistema de Controle de Pressão de Cabine (CPCS), manterão os pilotos confortáveis e seguros enquanto fizerem manobras na nova aeronave de treinamento M-345. Comparado aos concorrentes, o Air Cycle ECS da Honeywell pesa 20% menos e tem refil mais fácil por não conter líquido de refrigeração. Esta funcionalidade elimina o risco de vazamento, bem como a necessidade de recarga do sistema ou drenagem com fins de reparação.

“Este acordo representa um marco significativo entre a Honeywell e a Alenia Aermacchi, ampliando o relacionamento estratégico e oferecendo benefícios consideráveis aos pilotos e proprietários do novo M-345”, disse Steve Lien, vice-presidente de defesa e espaço internacional da Honeywell Aerospace. “Transferindo a tecnologia Honeywell para o já existente M-346, estamos ajudando a Alenia Aermacchi a poupar tempo e custos além de manter os pilotos seguros e confortáveis”.

Para o M-345, a Honeywell conseguiu transferir 16 componentes comuns para o ECS e CPCS do já existente M-346, reduzindo drasticamente o número de novas partes necessárias para o M-345. Por sua vez, isso beneficia a Alenia Aermacchi e seus clientes com o mínimo risco técnico, menor tempo de apoio logístico e redução de custos devido à reposição de partes em comum de ambas as plataformas.

M-345 Instrutor de Eficiência Máxima

O Instrutor de Eficiência Máxima (HET) é a mais recente aeronave instrutora militar de pilotos da Alenia Aermacchi. Programada   todas as fases de treinamento, da básica até a avançada, o projeto foi lançado oficialmente em fevereiro de 2014. Baseado no demonstrador M-311, o instrutor M-345 é rentável e com melhor relação de custo-benefício tanto na aquisição quanto no ciclo de vida em comparação aos instrutores turbo-hélice mais pesados.

Fonte: Honeywell.

Honeywell e Inmarsat se unem para trazer Wi-Fi de alta velocidade para aeronaves

Cortesia: Honeywell.

Cortesia: Honeywell.

Abrindo o caminho para uma nova era de conectividade sem fio a bordo, similar a que é disponível em casa ou no trabalho, a Honeywell Aerospace e a Inmarsat completaram com sucesso a primeira fase de testes do hardware e da rede de satélites para os serviços de banda larga da GX Aviation. O hardware JetWave da Honeywell permite que as aeronaves conectem a constelação de satélites Global Inmarsat Xpress aos serviços de wi-fi e Ka-Band da GX Aviation.

Os testes, que incluem vídeos streaming no Youtube, rádio ao vivo, conferências online, download de arquivos e etc, foram conduzidos no Reino Unido em junho de 2015 validando a capacidade do GX Aviation de entregar alta velocidade de wi-fi enquanto a aeronave sobrevoa a água ou o solo. Os testes demonstraram uma conectividade bem-sucedida entre o hardware da JetWave e o primeiro satélite da Inmarsat Global Xpress, o I-5 F1, que gera serviços da GX Aviation para a Europa, Oriente Médio, África e Ásia. Os testes seguem o mesmo padrão de alta velocidade e performance completados em 2015.

“Estamos no limiar de uma nova era de conectividade e o teste bem-sucedido do hardware da Inmarsat com a rede GX Aviation é um passo importante para deixar esse serviço pronto para o uso do público”, afirma Jack Jacobs, vice-presidente de segurança e conectividade da Honeywell Aerospace. “Aeronaves, passageiros e pilotos continuam pedindo por um wi-fi a bordo melhor, mais consistente e cada vez mais rápido para facilitar seu trabalho e melhorar a experiência de voo. O sucesso dos resultados dos testes recentes significa que a Honeywell e a Inmarsat irão satisfazer esta demanda em breve”.

O presidente da Inmarsat, Leo Modale, revela que “esses testes de voo são uma etapa emocionante para o lançamento do GX Aviation e traz uma verdadeira experiência de banda larga ao mercado. Com o GX Aviation, as companhias aéreas e os passageiros podem experimentar um serviço de conectividade equivalente ao que usam no solo.

“Apenas ter wi-fi a bordo não é mais um diferencial, no futuro o diferencial será sobre a qualidade do serviço. Com o GX Aviation e o equipamento JetWave da Honeywell, a Inmarsat oferecerá uma experiência incomparável ao passageiro em todas as rotas aéreas”.

“Todos estão falando sobre ‘aeronave conectada’ ou ‘aeronave habilitada’, até agora isso era apenas um vislumbre pois ninguém teve acesso a um serviço bom e rápido de internet. O GX Aviation mudou essa situação. Nós estabeleceremos os padrões de banda larga no céu”.

Mondale diz que a equipe da Honeywell, Inmarsat e iDirect estão trabalhando juntas para trazer o GX para o mercado. “ Esta aproximação é a primeira parte do ecossistema. O próximo passo é anunciar nossos acordos da linha fit. E estaremos acrescentando parceiros de revenda para ajudar a satisfazer os clientes de companhias aéreas garantindo que elas tenham uma escolha de prestadora de serviços que atenda às necessidades individuais de quem está na cabine”.

Fonte: Honeywell.

Honeywell aprimora eficiência de combustível da Virgin Atlantic com sistema de gestão de voo

Cortesia: Honeywell.

Cortesia: Honeywell.

A Honeywell Aerospace anunciou que a Virgin Atlantic Airways será a primeira companhia aérea a instalar o novo serviço de gestão de voo que ajuda a aumentar a eficiência e a conservação do combustível. O sistema de gestão de voo da Honeywell (FMS) irá oferecer aos pilotos informações atualizadas e customizadas sobre o vento e a temperatura para otimizar o perfil vertical e aprimorar previsões de combustível. A Virgin Atlantic irá implementar o sistema no seu Airbus A330 e na frota A340, nos quais o tempo e a economia de combustível podem ser maximizados.

“As equipes da Virgin Atlantic e da Honeywell trabalharam juntas para desenvolver e introduzir esse serviço excelente”, afirma Phil Maher, vice-presidente executivo de operações da Virgin Atlantic. “Estou confiante de que os ganhos de eficiência de combustível e as melhorias operacionais que experimentamos terão um impacto positivo em nossas operações, clientes e profissionais”.

O novo serviço de datalink da Honeywell, FMS, vai de encontro à expertise da companhia no que diz respeito à conectividade e gestão de voo e oferece informações contínuas e atualizadas sobre o vento e a temperatura diretamente para a aeronave por meio do Data Center Global da Honeywell (GDC), um serviço de suporte inovador.

O acesso aos dados mais recentes sobre o vento e a temperatura são especialmente eficazes em voos longos, quando pequenas mudanças no vento e na temperatura podem ter um maior impacto sobre a otimização de seleção de altitude, cálculo da descida e controle de velocidade. Cada um desses elementos podem melhorar significativamente a eficiência do combustível.

“O custo do combustível é um dos maiores para os nossos clientes, e nós criamos o primeiro sistema de gestão de voo na década de 1970 em resposta à crise de combustíveis da indústria mundial para ajudar os clientes a pouparem dinheiro e combustível”, diz John Bolton, presidente de transporte aéreo e regional da Honeywell Aerospace. “Agora estamos evoluindo nossos sistemas de gestão de voo oferecendo um novo serviço que permite fornecer recomendações otimizadas à tripulação, o que pode dar aos pilotos da Virgin Atlantic as ferramentas que precisavam para tomar decisões durante o voo poupando tempo e diminuindo o consumo de combustível – dois itens que impactam diretamente no resultado final”.

Além de fazer a previsão meteorológica mais recente durante o voo, o serviço de datalink FMS da Honeywell também atualiza os planos iniciais de voo a pedido do FMS, otimizando a carga de trabalho e permitindo à tripulação se concentrar em outras tarefas importantes. Sem o FMS, os pilotos normalmente inserem as informações meteorológicas manualmente antes do voo.

Sobre o serviço de datalink FMS da Honeywell

A Honeywell tem sido líder na tecnologia FMS desde que foi criada na década de 1970. O FMS tradicional faz cálculos baseados em informações de previsão de vento e temperatura em determinados locais e altitudes durante a trajetória de voo. Para fazer essas previsões, os pilotos costumam inserir informações meteorológicas manualmente antes de decolarem. Entretanto, previsões meteorológicas ao longo do trajeto tornam-se obsoletas, especialmente em voos longos. O serviço de datalink FMS é o próximo passo para a evolução da gestão de voo.

Fonte: Honeywell.

Boeing demonstra o primeiro GPS da Honeywell categoria III com precisão de pouso

Cortesia: Honeywell.

Cortesia: Honeywell.

A Honeywell Aerospace e a Boeing demonstraram como uma aeronave pode utilizar a tecnologia da Honeywell de última geração que permite precisão na navegação e pouso, realizar operações bem-sucedidas em condições climáticas desfavoráveis com um limite preciso de altura e uma visualização mínima da pista de 150 pés ou Categoria III.

A Honeywell e a Boeing mostraram com sucesso como os aeroportos que possuem problemas frequentes de visibilidade, como nuvens baixas e neblina, serão capazes de implementar as versões futuras do SmartPath que permite pousos da Categoria III (CAT III) para reduzir atrasos e fazer desvios de más condições climáticas.

“Hoje o espaço aéreo está lotado e vai piorar nos próximos dez anos. Companhias aéreas e aeroportos precisam de um sistema mais eficiente e moderno para lidarem com o tráfego de aviões durante a aproximação e o pouso, principalmente quando as condições meteorológicas não estão boas e os pilotos precisam operar em condições CAT III”, diz Bob Smith, diretor de tecnologia da Honeywell Aerospace. “A Honeywell criou e testou um sistema de precisão de pouso que irá não somente aliviar o tráfego intenso do aeroporto como também dará aos pilotos a habilidade de pousar quando não conseguirem visualizar a pista, ajudando os aeroportos a serem mais eficientes”.

Utilizando o SmartPath (Ground-Based Augmentation System ou GBAS) da Honeywell, a Boeing fez o teste no seu ecoDemonstrator 787, uma aeronave de teste que em 2014 serviu para avaliar mais de 25 tecnologias que reduzem os problemas ambientais gerados pela aviação, para completar 12 aproximações e pousos CAT III, na estação de testes em Moses Lake, Washington. A aeronave também utilizou o Receptor Integrado de Navegação (INR) da Honeywell, que integra os instrumentos de pouso, faixa VHF omnidirecional com sinalizador de alcance e sistema de pouso GBAS em uma unidade mais compacta e eficiente.

“Usando a capacidade das aeronaves de hoje e a precisão dos sistemas de navegação globais, as aeronaves conseguem pousar em condições climáticas com baixa visibilidade”, afirma Jeanne Yu, diretor de performance ambiental da Boeing Aviões Comerciais. “Isso melhora a eficiência operacional, reduz o gasto de combustível e também a emissão de dióxido de carbono”.

Para concluir com êxito as aproximações CAT III, que envolvem pousos em condições difíceis, incluindo neblina, nuvens, chuvas entre outros fenômenos meteorológicos, a Honeywell atualizou seus softwares 787 INR e SLS-4000 SmartPath GBAS para dar suporte ao monitoramento adicional CAT III e requisitos disponíveis.

Sistema de Navegação de Precisão da Honeywell

A Honeywell tem fornecido tecnologia de navegação de última geração para aeroportos e companhias aéreas durante décadas. Seu sistema de pouso de precisão SmartPath fornece aos aeroportos e companhias aéreas uma solução de custo eficaz que permite aumentar a capacidade aeroportuária, diminuir o ruído do tráfego aéreo, reduzir atrasos relacionados às condições climáticas e custos operacionais. O SmartPath faz isso usando sinais do Sistema de Posicionamento Global, que fornece aos operadores de aeronaves um sinal de navegação digital muito preciso para aproximações e pousos.

O SmartPath está sendo utilizado atualmente em voos geradores de receita e foi desenvolvido para suportar atualizações de pousos e aproximações CAT III.

Assim, a Honeywell continua a implementar suas novas tecnologias em seus produtos aéreos de navegação, como o Receptor Multimodal Integrado que tem a habilidade de fazer atualizações via software.

Fonte: Honeywell.

Honeywell testa reconhecimento de voz em voo para futuros cockpits

A Honeywell Aerospace começou a testar o dispositivo de reconhecimento de voz dentro de cockpits de aeronaves utilizando um sistema de prototipagem rápido recentemente desenvolvido, permitindo que novas tecnologias como o controle de reconhecimento de voz se integrem com mais facilidade no convés de voo.

O Ambiente de Prototipagem Inovador (HIPE) da Honeywell permite que os pilotos operem uma unidade de controle multiuso tradicional a partir de uma interface com o tablet que incorpora novas funções. Esse novo sistema em teste possibilita que novas tecnologias sejam integradas com mais facilidade.

A Honeywell está usando o HIPE para teste de reconhecimento de voz em uma aeronave Embraer ERJ170 e está trabalhando com pilotos e clientes para avaliar sua usabilidade, segurança e eficiência em um cenário real de voo. Essa engenharia avançada de teste tornará possível a utilização de reconhecimento de voz nos cockpits.

O reconhecimento de voz será um grande avanço no cockpit pois pode eliminar muitas etapas manuais necessárias na execução de um comando – o que permite a diminuição da carga de trabalho e que o piloto se concentre em voar com segurança e eficiência. O reconhecimento de voz pode ser muito útil para ativar comandos ou menus utilizados com pouca frequência poupando o tempo da tripulação. O HIPE é uma parte essencial da Honeywell User Experience, uma abordagem de tecnologia intuitiva desenvolvida para o usuário final e é peça chave para testar os conceitos da próxima geração.

Fonte: Honeywell Aerospace.

Video: Cortesia da Honeywell Aerospace.