Olá Rio: Edelweiss officially lands in Rio de Janeiro

Red nose, the distinct “Switzerland” word on the fuselage and the famous oversized flower on the tail are the most eye-catching details, as any aviation aficionado knows, it is an Edelweiss’ aircraft. Last Friday (22), the airline has started the service from Zurich to Rio de Janeiro, the inaugural flight from Kloten Airport took off at 12:48 PM CEST and landed at 07:14 PM BRT at Galeão Airport. Initially, the company will operate this route twice a week – Mondays and Fridays – on a year-round basis. However, the airline has stated that the plans extend beyond Olympic games in 2016. Depending of the success of the route, frequency increases might be considered in the future. Edelweiss’ flights are complemented by the already existing flights of Lufthansa Group to Rio de Janeiro and Sao Paulo.

Edelweiss is a sister company of Swiss International Air Lines (SWISS) and in the same way the company flights will complement SWISS’ flights, which are operated daily from Zurich to Sao Paulo. The aircraft utilized on this route to the marvelous city is an Airbus A330-343, the second biggest member of A330 Family which now counts with the A330neo variants in development.

Everybody knows that the Airbus A330 is one of the most cost-efficient aircraft in its class, the excellent short-field performance and long-range capabilities enable the A330 to be efficiently utilized both on established routes and expanding markets, like Rio de Janeiro, in Brazil and Calgary, in Canada. In numbers, the A330s fly to over 400 destinations around the world each week, and orders for this wide body twin-engine aircraft family have surpassed the 1,600 mark, from over 100 operators.

Short history of Edelweiss:

Edelweiss was founded on 19 October 1995 in Bassersdorf, Switzerland, with just one airplane, a McDonnell Douglas MD-83. The fleet was expanding and renewed. In 1998, new Airbus A320 were introduced to replace the MD-83s, and in 1999 the airline long-haul flights started with an Airbus A330-200.

From 2001 to 2008, Edelweiss received seven golden Travelstar Award for its excellent achievements. Up to November 2008, the airline was wholly owned by Kuoni Travel Ltd and had 190 employees, when the operating rights were sold to SWISS, in exchange for sale rights of hotel capacities via the SWISS sales network. When Edelweiss was bought by SWISS, Edelweiss became a subsidiary of Europe’s largest airline group, the Lufthansa Group which bought SWISS in 2005.

As of March 2011, Edelweiss added to its fleet the larger Airbus A330-300, with an order having been placed on April 05th, 2010. On last July, it was announced that Edelweiss will receive three Airbus A340-313X from SWISS. The first airplane will join Edelweiss’ fleet in the 4th quarter of 2016 and will operate flight from Zurich to Cape Town, in South Africa and Phuket, in Thailand.

Last November, the airline introduced its new revised livery on one of its Airbus A320-200, the new livery is gradually being applied to the entire fleet. There is an A330-300 with the new livery, tail number is HB-JHR. Edelweiss stated that all aircraft will subsequently be painted with new livery. According to current planning the entire fleet will be painted in the new livery until Summer 2017.

Business Class:

  • Courtesy: Edelweiss

Airline’s premium product is well known as one of the most comfort Business Class on the aviation industry. In the A330-300 there are 27 full lie-flat seats with two seat configurations, 1-2-1 and 2-2-1.

Among with all the services offered on Business Class by all the airlines, Edelweiss highlight herself by welcoming the client and presenting them that sleep and dream at 30.000 feet will not be a problem, with the anatomical Business Class seat convert in a two-meter-long bed in a short time at all. Pillow, blanket and amenity kit are also provided for a complete rest.

A wide range of on board entertainment is offered on a 16” HD touch screen monitor and the passenger will not have their gadget out of battery due to a mains socket to charge it up.

To finalize all this comfort, it is worth to highlight again the excellent on board service provided by the crew of the flight. Everything is guaranteed to make sure the client will arrive refreshed and rested in their final destination.

Regarding the lounges which Business Class passengers are eligible to use, in Zurich the lounge utilized is the SWISS Business Lounge and in Rio de Janeiro the lounge is Smiles VIP room.

Economy MAX:

  • Courtesy: Edelweiss

This class can accommodate up to 56 passengers in a 2-4-2 seat configuration.

Pay for a price closer to an Economy fare but fly with the maximum comfort that Economy can provide, this is the idea, make economy flight pleasanter.  Seat back and enjoy 15 centimeters more legroom between the seats, and up to five centimeters more recline angle than Economy Class, here is the “magic”, just close your eyes and you will comfortably be able to relax peacefully. The seat also counts with a 9” HD touch screen monitor.

Economy Class

  • Courtesy: Edelweiss

Accommodating up to 232 clients in a 2-4-2 seat configuration and 2-3-2 on the back part of the fuselage, a huge part of the people think that paying less for a ticket will have almost any benefit on board, but this idea doesn’t work with this airline. The company has everything that makes sense for a relaxed journey, such as: adjustable headrest, patented anti-thrombosis pad that supports the circulation in passengers’ leg. Everything is so comfortable that the journey will be pleasant and with a huge entertainment system on a 9” HD touch screen monitor, the flight will be valuable.

Entertainment System:

Courtesy: Edelweiss.

Courtesy: Edelweiss.

The flight isn’t passing? No problem, in front of you there is a HD touch screen with more than 180 movies and TV programs for you choose freely. But this isn’t all, if the passenger wants to sink in the world of music, there are 270 CDs and playlists to choose from. There are also games to play, they can offer for the client Sudoku or multi-player 3D games. And in case if the passenger wants to read a little bit, there is the “Sunflyer”, the on board magazine of the company. International and national newspapers and magazines are offered but they are subject to availability. All the entertainment selection is synchronized with their sister airline, SWISS.

Engines:

edelweiss-inagugural-flight-to-rio-de-janeiro-brazil-airbus-a330-300-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose.jpg (1)

Edelweiss’ Airbus A330-313X is powered by two Trent 700 engines, with a 2.47-meter fan diameter, this engine delivers the power requirements for all A330 and particularly for the higher weight aircraft operation in harsh environments. The engine can generate a thrust of 72.000 lb and provides the best take-off performance and revenue-earning for its operators. It has been designed for growth capability of the A330 and incorporates materials capable of the pressures and temperatures required for 75.000 lb.

A warm welcome

When the passengers were disembarking at Terminal 2, the airline surprised everyone with Brazilian popular music (MPB) and a warm welcome. Every passenger received a typical Carnival necklace.

Airbus A330-300 technical specification:

Cabin width 5.28 m (17 ft 4 in)
Cruise speed Mach 0.82 (871 km/h or 470 kn)
Engines (×2) Rolls-Royce Trent 700
Fuselage height 5.64 m (18 ft 6 in)
Fuselage width 5.64 m (18 ft 6 in)
Length 63.69 m (208 ft 11 in)
Maximum fuel capacity 97,530 L (25,800 US gal)
Maximum landing weight 187,000 kg (412,000 lb)
Maximum range (fully loaded) 11,750 km (7,300 mi; 6,350 nmi)
Maximum service ceiling 13,000 m (42,651 ft)
Maximum takeoff weight 242,000 kg (534,000 lb)
Service ceiling 12,527 m (41,100 ft)
Tail height 16.83 m (55 ft 3 in)
Wing area 361.6 m2 (3,890 sq ft)
Wingspan 60.3 m (197 ft 10 in)

Curiosity:

edelweiss-inagugural-flight-to-rio-de-janeiro-brazil-airbus-a330-300-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose.jpg (2)

Probably most of the people don’t know why they painted a white flower on its aircraft but this flower is named Edelweiss which is referred in biology for a plant with rugged beauty and purity which grows on high altitudes like in the Alps and Carpathians. This flower is a national symbol especially of Austria, Bulgaria, Romania and Switzerland. Edelweiss means in German edel “noble” and weiss “white”, literally like a “noble white”. This is why they have couple of flowers painted through their aircraft. As we can see, the company’s name is also derivate from the flower.

Rockwell Collins celebrates 40 years of operations in Brazil and presents its new office in Sao Jose dos Campos

rockwell-collins-40-years-operations-brazil-new-office-sa0-jose-dos-campos-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose (8)

During the event last Wednesday in Sao Jose dos Campos, Sao Paulo, Rockwell Collins celebrated 40 years of the company’s operations in Brazil and presented its new office and its latest communication technologies and advanced avionics for journalists and guests.

Rockwell Collins is a pioneer in the development and deployment of communication and aviation electronic solutions for commercial and government purposes. Offering a wide range of products for use in the cockpit, communications, information management, simulation and training. Its network of assistance and service cover more than 150 countries.

With a long history and a commitment with Brazil, the company began its operations in the country in 1974 in Rio de Janeiro and moved to Sao Jose dos Campos to support the EMB-120 Brasilia program of Embraer. Throughout its 40 years of operation in the country, the company has shown its commitment by increasing its investments and presence in the Brazilian economy. The corporation also hired and trained local personnel, thus transferring its technology to them. Strengthening its presence and offers beyond the avionics sector and to support customers, partners and programs in the region, Rockwell Collins has increased its employee base in Brazil by 50% since 2011 with the hiring of engineers, program managers, maintenance technicians and creating seven new strategy teams, marketing, business development and programs located in Brazil and Latin America.

From left to right: Alan Prowse - VP & Managing Director Americas and Global Services BD International & Services Solutions

From left to right: Alan Prowse – VP & Managing Director Americas and Global Services BD International & Services Solutions / Collin Mahoney – Senior VP International & Services Solutions / Marcelo Vaz – President of Rockwell Collins of Brazil.

In the event, the company announced that Marcelo Vaz Rodrigues will be the new president of Rockwell Collins of Brazil. He will lead the company’s strategy for long-term growth and continued investment in the country. Prior to joining the company in 2012, Vaz worked at Rolls-Royce of Brazil since 2006. He also held positions in customer service, sales and engineering at Turbomeca, Halliburton Energy Services and Schlumberger Industries. Vaz succeeds Nelson Aquino, who will take a special paper in projects in Brazil to mature further internal business structure of the corporation, which is growing rapidly in the region.

In addition, the company announced that it has been chosen by Embraer to equip the Cargo Handling and Aerial Delivery Control System (CHADCS) for the KC-390 program of the Brazilian Air Force. CHADCS is a digital control system used to hold, monitor, and execute precision air drops of cargo, vehicles, and troops in a variety of tactical methods. The system consists of a loadmaster station with displays and controls, a network of lock control units and control panels to sense inputs, measure force, activate and release locks, along with high criticality software and processing hardware to manage the required automation, safety, and precision.

Rockwell Collins has previously been selected by Embraer to supply the first military application of the integrated system of highly advanced avionics, the ProLine Fusion for the KC-390 program. The system also represents the highest content that Rockwell Collins has in a military aircraft from Embraer.

A visit was conducted by the new office and the installation of the Service Center in Sao Jose dos Campos. This center is essential to meet the local clients needs, including aircraft manufacturers such as Embraer and Helibras. In addition, the region where the city is located is known as an aeronautical pole in Brazil.

The new expanded facility has twice the current size and, at first glance, the design and disposal of the office increases the effectiveness at work, thus providing greater collaboration and production of the team.

The traditional individual rooms of an office gave rise to generous individual open spaces where communication is benefited. There are some enclosed spaces for personal meetings and for silence purposes. There are two meeting rooms with data-show too.

There is also a demonstration room that brings together some of the Rockwell Collins products, one of them is the new Pro Line Fusion system.

The facility has a conventional office kitchen with some ambiances for a quick conversation.

rockwell-collins-40-years-operations-brazil-new-office-sa0-jose-dos-campos-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose (9)

At the end of the event there was a celebration and usual ribbon cutting ceremony, with executives from the company and Brazilian government authorities, which marked the opening of the new office.

United Airlines introduces the Boeing 787-9 Dreamliner to Rio de Janeiro

Gently upswept wings, high-tech wingtips, the saw-tooth pattern on the trailing edges of the jet engine nozzles – as every United Airlines user knows these are the distinguishing features of the Boeing 787-9. In terms of noise emissions and fuel efficiency, the aircraft offers significant reductions. The 787-8 incorporates countless innovations that are designed to make flying even more environmentally compatible and, above all, quieter.

But that is not all. New aluminium alloys and composite materials, which are lighter in weight and more durable than the materials previously used in aircraft construction, were incorporated into the 787-9. The redesigned wings with their state-of-the art profile and raked wingtips improve aerodynamics and thus save fuel. In terms of its capacity, range and operating costs, the 787-9 is a very economical aircraft. Customers will also be thrilled to discover a host of innovations aboard in the aircraft.

Yesterday, United Airlines introduced the Boeing 787-9 Dreamliner in Houston – Rio de Janeiro route. The modern aircraft is being operating in daily basis between the two cities. The Dreamliner will operate flights until March 27th, 2016.

BusinessFirst

  • Courtesy: United Airlines.

The class has 36 seats in a 2-2-2 configuration. Without much effort, the seat converts into a flat bed.

The main characteristics of the class are: 15.4-inch video monitor, amenity kit, complimentary duvet and pillow for use during your flight, complimentary newspapers, iPod connect, intuitive remote controls, more than 150 hours of on-demand entertainment, noise-reducing headsets, power outlet and USB port.

The window size increased significantly, over 30% higher than other commercial aircraft (48 × 28 cm), there is a button that adjusts the brightness of the window, pressing in the white part the window glass becomes clear and pressing in the black button the window glass becomes dark. It is all part of an electrodynamics system developed by Boeing engineers.

Economy Plus

Courtesy: United Airlines.

Courtesy: United Airlines.

The class has 70 seats in a 3-3-3 seat configuration, the seat also offer a 6 inches of recline. Spacious seating available in Economy Plus offering up to 5 inches of additional legroom.

In-seat power outlets are available in every row.

There are four air conditioning vents per row, which is double the amount in a conventional aircraft.

LED lighting illuminates the cabin gently, creating a more relaxing experience.

Economy

Courtesy: United Airlines.

Courtesy: United Airlines.

The class has 113 seats in a 3-3-3 seat configuration. Every seat has a power outlet and offers five inches of recline.

Storage bins are the biggest in the industry – 30 percent larger than those on a 777.

The 787-9 has a cabin altitude of 6,000 feet, compared to 8,000 feet for a typical aircraft. Altitude chamber tests show that because the body absorbs 8 percent more oxygen into the blood at this altitude, customers are less likely to experience headaches and fatigue.

Cockpit:

united-airlines-boeing-787-9-dreamliner-first-flight-rio-de-janeiro-brazil-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose (12)

Counting with a state-of-art cockpit, the most advanced aeronautic technology is here. The cabin count with five primary big screens and two lateral adjacent screens (one for each pilot), except the smaller screens of the other central equipment.

A 787-8 has fewer primary display screens but significantly more primary display space. The displays are more flexible, allowing pilots to configure displays to their preferences.

The cockpit features a dual head up displays (HUDs), a small transparent screen that drops down in front of the pilots in order to improve visibility during difficult flying conditions while providing essential flight information.

Engines

united-airlines-boeing-787-9-dreamliner-first-flight-rio-de-janeiro-brazil-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose (13)

The 787-9 is powered by General Electric high-bypass-ratio engines. The engines share a common core with the 787-9 and feature composite fan blades and a composite fan case; a low-emissions combustor; and a virtually maintenance-free fan module.

There is a very interesting point in the engines, the saw-tooth pattern on the trailing edges of the jet engine nozzles.  These so-called chevron nozzles enhance the mixing rate of the turbulent shear layer, i.e. the layer of air between the hot, fast-moving exhaust gas stream from the interior of the engine and the cold secondary air that flows around the engine core. Chevron nozzles help to significantly reduce pressure fluctuations and thus jet noise. In the case of GEnx engines, the saw-tooth concept is also applied to the outer trailing edge in order to reduce the noise emissions generated there.

Wings

united-airlines-boeing-787-9-dreamliner-first-flight-rio-de-janeiro-brazil-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose (1)

The 787-9 has sensors that identify the change of wind speed and controls the change in a mini-flap on the end of the main flap, without intervention from the pilot. It automatically compensates for changes in lift and reduces the effect of turbulence.

New wing design. The 787-8’s wing design provides additional performance with lower noise. New features include:

  • Advanced technology airfoils for improved overall performance and greater fuel capacity.
  • Fly-by-wire spoilers and outboard ailerons to save weight.
  • Double-slotted inboard and single-slotted outboard flaps to improve low-speed performance and noise.
  • Advanced-technology raked tip to reduce cruise drag.
  • Aileron droop to reduce noise and provide improved low-speed performance.
  • Redesigned flap tracks with optimized flap-track fairings to improve low-speed performance and noise.
  • Redesigned Krueger flaps with gapped configuration to improve low-speed performance.

Technical Specifications

Cruising speed 490 kts (913 km/h)
Engines (x2) General Electric GEnx-1B / 64,000 lbf (280 kN)
Height 55 ft 10 in (17.0 m)
Length 206 ft 1 in (62.8 m)
Maximum landing weight 425,000 lb (193,000 kg)
Maximum takeoff weight 557,000 lb (253,000 kg)
Range 8,300 nmi (15,400 km)
Wingspan 197 ft 3 in (60.1 m)

Why fly in the Boeing 787-9 Dreamliner?

  • The aircraft has a modern system of sensors that by the changing of the speed and direction of the wind adjust a mini-flap, in the end of the main flap reducing considerable the effect of the turbulence;
  • The air filtering system is innovative, which makes the flight more comfortable and reducing the possibility of nausea, headache, eye and throat irritation and others discomforts;
  • Considerable noise reduction inside and outside the Dreamliner from takeoff to landing, more specifically 60% lower compared with a similar aircraft;
  • The largest window in the aviation market, due to the use of composite material, which reduce the weight of the aircraft and being possible to implement the windows;
  • Reduction in fuel consumption and consequently 20% in carbon emissions;
  • Innovative exterior and interior design;
  • More than 50% of the fuselage is made of composite material, the main carbon fiber and plastic, reducing the use of more polluting material to the environment and keeping the same flight safety in relation to the fuselage. The percentage of the materials used: 50% composite, 20% aluminum, 15% titanium, 10% steel and 5% other materials;
  • With the use of composites in place of aluminum are saved 1500 aluminum sheets and 40000-50000 fixers;
  • 10% reduction in cost per seat / mile

Final Considerations

With the introduction of the Boeing 787-9 Dreamliner to Rio de Janeiro, United Airlines not only introduced the aircraft to Rio de Janeiro, but also for Brazil. The landing has marked the beginning of the 787-9 operations to the country.

The Dreamliner incorporates state-of-art technologies to make the flight smooth and pleasant for the passengers, the aircraft also provides an efficient fuel consumption. The 787 is an eco-friendly aircraft.

United Airlines has highlighted its leadership again in the market with the introduction of the aircraft to the marvelous city. Since April, Sao Paulo is receiving daily flights of the Boeing 787-8 Dreamliner also coming from Houston.

________________________________________________________________

United Airlines introduz o Boeing 787-9 Dreamliner para o Rio de Janeiro

Asas niveladas, winglets desenvolvidos com alta tecnologia, o padrão de dente de serra nas bordas dos motores – como todo fã da United Airlines sabe, estas são as características distintivas do Boeing 787. Em termos de emissões de ruído e consumo de combustível, a aeronave oferece reduções significativas. O 787-8 incorpora inúmeras inovações que o tornam mais ecologicamente correto e, acima de tudo, silencioso.

Mas isso não é tudo. Novas ligas de alumínio e materiais compostos, são mais leves e mais duráveis do que os materiais anteriormente utilizados na construção de aeronaves, foram incorporados ao 787. As asas redesenhadas e novos winglets melhoraram a aerodinâmica e, assim, economizam combustível. Em termos de seus custos, de capacidade, de alcance e operacionais, o 787 é um avião muito econômico. Os passageiros também são surpreendidos ao descobrir uma série de inovações a bordo na aeronave.

Ontem, a United Airlines introduziu o Boeing 787-9 Dreamliner na rota Houston – Rio de Janeiro. A moderna aeronave está sendo operada em base diária entre as duas cidades. O Dreamliner irá operar os voos até 27 de março de 2016.

Business First

  • Courtesy: United Airlines.

A classe apresenta 36 assentos em uma configuração 2-2-2. Sem muito esforço, o assento se converte em uma flat-bed.

As principais características da classe são: amenity kit, cobertor e travesseiro complementários, conector para iPod, controle de assento e remoto intuitivo, fones com cancelamento de ruído, jornais complementários, mais de 150 horas de entretenimento on-demand, porta USB, tela de 15,4 polegadas e tomada elétrica.

O tamanho da janela aumentou bastante. Trinta por cento maior que os demais aviões comerciais (48×28 cm), um botão regula o brilho da janela e apertando-o na parte branca a janela clareia e apertando-o na parte preta a janela escure. Tudo isso faz parte de um sistema eletrodinâmico desenvolvido pelos engenheiros da Boeing.

Economy Plus

Cortesia: United Airlines.

Cortesia: United Airlines.

Possuindo 70 poltronas em uma configuração 3-3-3, o assento oferece uma reclinação de seis polegadas. Espaçosos assentos disponíveis na Economy Plus oferecem até 5 centímetros a mais de espaço para as pernas. Todos os assentos também possuem tomada elétrica.

Há quatro saídas de ar condicionado por fileira, o que é o dobro da quantidade em uma aeronave convencional.

Lâmpadas de LED iluminam a cabine suavemente, criando uma experiência mais relaxante.

Economy

Cortesia: United Airlines.

Cortesia: United Airlines.

A classe oferece 113 assentos dispostos em uma configuração 3-3-3. Todos contam com uma tomada elétrica e reclinam até cinco polegadas.

Os compartimentos de bagagem também são os maiores da indústria – trinta por cento maior do que um compartimento do 777.

O 787 tem uma altitude de cabine de 6.000 pés, em comparação com 8.000 pés para uma aeronave típica. Testes em câmaras de altitude mostram que, o corpo absorve 8 por cento mais oxigênio para o sangue a esta altitude, desta forma os passageiros são menos propensos a sentir dores de cabeça e fadiga.

Cockpit

united-airlines-boeing-787-9-dreamliner-first-flight-rio-de-janeiro-brazil-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose (12)

Contando com uma cockpit no estado-da-arte, o que existe de mais avançado em tecnologia aeronáutica está aqui. A cabine conta com cinco telas grandes principais, duas adjacentes laterais (uma para cada piloto), fora as menores dos equipamentos centrais.

Um 787-9 tem menos telas de exibição primárias mas possui mais espaço na tela de exibição primária. As telas são mais flexíveis, permitindo aos pilotos configurarem de acordo com suas preferências.

A cabine dispõe de dois Head Up Displays (HUD), uma pequena tela transparente que desce na frente dos pilotos, a fim de melhorar a visibilidade em condições de voo difíceis ao fornecer a informação essencial de voo.

Motores

united-airlines-boeing-787-9-dreamliner-first-flight-rio-de-janeiro-brazil-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose (13)

O 787-9 está equipado com motores turbofan General Electric com alta taxa de fluxo. Estes motores compartilham um núcleo comum e possuem as pás do ventilador e a carenagem feitas de compósitos; um combustor de baixas emissões de gases poluentes, e um módulo de ventilador praticamente livre de manutenção.

O padrão de dentes de serra nos bocais dos motores. Estes bocais chamados de Chevron aumentam a taxa de mistura das camadas cisalhantes turbulentas, ou seja, a camada de ar entre o fluxo de gás de exaustão que se move rápido e quente vindo do interior do motor e o ar frio secundário que flui em torno do centro do motor. Os bocais chevron ajudam a reduzir significativamente as flutuações de pressão e então o ruído do jato. No caso dos motores GEnx o conceito dentes de serra é também aplicado na parte externa do motor a fim de reduzir as emissões de ruído lá geradas.

Asas

united-airlines-boeing-787-9-dreamliner-first-flight-rio-de-janeiro-brazil-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose (1)

A asa do 787-9 possui sensores que identificam a mudança da velocidade do vento e comanda a mudança de um mini-flap na ponta do flap principal, sem a intervenção do piloto. Ele compensa automaticamente as mudanças na sustentação e diminuem o efeito sobe-e-desce da turbulência.

Novo design da asa fornece desempenho adicional com menor ruído. Os atuais recursos incluem:

  • Aerofólios com tecnologia avançada para melhorar o desempenho geral e uma maior capacidade de combustível.
  • Spoilers com controle fly-by-wire e ailerons de popa para poupar peso.
  • Dupla fenda no interior e uma no exterior dos flaps para melhorar o desempenho em baixas velocidades e reduzir o ruído.
  • Tecnologia avançada nos winglets para reduzir o arrasto durante o voo de cruzeiro.
  • Inclinação do aileron para reduzir o ruído e proporcionar melhor desempenho a baixas velocidades.
  • Dobradiças do flap redesenhadas para melhorar o desempenho a baixas velocidades e reduzir o ruído.
  • Krueger flap redesenhado com folga para melhorar o desempenho a baixas velocidades e reduzir o ruído.

Especificações Técnicas

Alcance 15,400 km
Altura 17.0 m
Comprimento 62.8 m
Motor (x2) General Electric GEnx-1B / 64,000 lbf (280 kN)
Peso máximo para decolagem 253,000 kg
Peso máximo para pouso 193,000 kg
Velocidade de cruzeiro 913 km/h
Wingspan 60.1 m

Por que voar no Boeing 787-9 Dreamliner?

  • Possui moderno sistema de sensores que através da mudança da velocidade e direção do vento ajustam um mini-flap que através disso aumenta a sustentação da aeronave, reduzindo consideravelmente o sobe-e-desce da turbulência;
  • Sistema de filtração de ar totalmente inovador, deixando o voo mais tranquilo e reduzindo a possibilidade de ocorrer o enjoo, mal estar, dor de cabeça, irritação dos olhos e da garganta, sendo esses os principais desconfortos;
  • Grande redução dos ruídos no interior e exterior da aeronave desde a decolagem até o pouso, mais especificamente 60% menor em relação a aeronaves similares;
  • Maior janela do mercado da aviação, devido ao uso de materiais compostos que reduzem o peso da aeronave, sendo assim possível a implementação das janelas;
  • Redução no consumo de combustível e consequentemente em 20% na emissão de carbono;
  • Design exterior e interior inovador;
  • Mais de 50% da fuselagem é feita por materiais compostos principalmente fibra de carbono e plástico, reduzindo assim o uso de materiais mais poluentes ao meio ambiente e mantendo a mesma segurança do voo em relação a fuselagem convencional. O percentual certo de materiais utilizados, 50% de material composto, 20% de alumínio, 15% de titânio, 10% de aço e 5% de outros materiais traz estas vantagens.
  • Com o uso de compósitos no lugar do alumínio, são poupadas 1500 folhas de alumínio, 40000 a 50000 fixadores;
  • Redução de 10% do custo por assento/milha.

Considerações Finais

Com a introdução do Boeing 787-9 Dreamliner para o Rio de Janeiro, a United Airlines não só introduziu a aeronave para o Rio de Janeiro, mas também para o Brasil. O pouso do 787-9 marcou o início das operações da aeronave para o país.

O Dreamliner incorpora tecnologias de ponta para tornar o voo mais suave e agradável, a aeronave também oferece um eficiente consumo de combustível, o 787 é uma aeronave amiga do meio ambiente.

A United Airlines se destacou mais uma vez no mercado com a introdução da aeronave. São Paulo já recebe desde abril o Boeing 787-8 Dreamliner diariamente vindo também de Houston.

LATAM Airlines Group apresenta sua nova marca

  • Cortesia: LATAM Airlines Group.

Em um evento realizado hoje no Memorial da América Latina em São Paulo (capital), o Grupo LATAM Airlines apresentou a imprensa e convidados a sua nova marca, que unificará as duas marcas, TAM e LAN. O evento em São Paulo foi realizado ao mesmo tempo que um evento também de apresentação da nova marca em Santiago, no Chile. A escolha da marca LATAM é resultado da consolidação das duas companhias aéreas e é fruto de um grande estudo realizado em dez países após a associação entre as empresas.

Na ocasião, os executivos da TAM e do Grupo LATAM apresentaram a nova identidade visual do Grupo LATAM e explicaram um pouco mais sobre a nova marca.

O Grupo já está trabalhando para alterar, gradualmente, sua identidade corporativa em um prazo total de, aproximadamente, três anos. Ao final do prazo, seus espaços físicos, aeronaves, escritórios, páginas da internet e uniformes serão atualizados com o perfil da nova marca. Alguns avanços já são visíveis, principalmente na experiência de viagem dos passageiros, como é o caso das novas cabines que foram incorporadas à frota, das novas VIP Lounge em São Paulo e Santiago – as maiores da região e que já estão abertas ao público, formando a maior rede de salas para passageiros frequentes da região – ou das plataformas digitais como o entretenimento de bordo nos dispositivos móveis.

Após um extenso trabalho de integração depois da associação entre LAN e TAM, o Grupo LATAM Airlines decidiu adotar um nome e uma identidade únicos, e anunciou que a marca do grupo de companhias aéreas mais importantes da América Latina e suas filiais será LATAM. Todas as companhias aéreas e de carga que integram o Grupo terão a marca trocada por LATAM, são elas: TAM Linhas Aéreas S.A., TAM Transportes Aéreos Del Mercosur S.A. (TAM Airlines – Paraguay), LAN Airlines e suas filiais na Argentina, Colômbia, Equador e Peru e as companhias de carga LAN CARGO, LAN CARGO Colombia, ABSA (TAM Cargo) e, Mas Air.

Com relação à nova imagem, Jerome Cadier, VP de Marketing do Grupo LATAM, destaca que o logotipo foi inspirado na identidade e no legado da região, incorporando o que há de melhor na LAN e na TAM. Por isso, escolheram como cores principais o índigo LATAM e o coral LATAM. A primeira representa o melhor dos dois mundos, já que se encontra entre o vermelho e o azul, que são as cores corporativas da TAM e da LAN, e a segunda simboliza a energia e a paixão, valores essenciais da nova marca. Essas duas cores são acompanhadas por outras secundárias, que dão vida à diversidade daquilo que significa a América Latina.

O nome LATAM foi criado durante o processo de integração, que foi identificado a importância de termos uma identidade única para o Grupo. O processo para definição do nome teve várias etapas, em que foram avaliados os possíveis cenários de marca. O estudo foi realizado com o apoio da Interbrand, consultora global líder em gestão de marcas, em 10 países, dentre eles 5 onde companhias aéreas do Grupo LATAM Airlines possuem operações domésticas de passageiros, e outros destinos de longa distância onde também há um alcance significativo: Brasil, Chile, Peru, Argentina, Colômbia, Estados Unidos, Espanha, Inglaterra, França e Itália. Também incluiu a conversa com nossos colaboradores e a consideração das necessidades dos nossos clientes, que foram reconhecidas no amplo estudo que deu origem à nossa nova proposta de valor.

Além disso, as marcas associadas ao Grupo serão unificadas, com o objetivo de oferecer um serviço único e alinhado à nova marca, o que será comunicado aos clientes conforme a evolução do processo.

Com relação aos Programas de Fidelidade LAN e TAM e de suas empresas relacionadas, seguirão implementando melhorias aos seus programas atuais, e quaisquer alterações serão informadas oportunamente.

Juntas, as companhias aéreas continuaram como pioneiras no setor, com conquistas importantes, como a unificação bem-sucedida de sua malha de destinos para passageiros e carga, e a renovação da sua frota, incorporando os modelos de aeronaves mais modernos e eficientes do mundo em sua categoria, com a LAN sendo a primeira no continente americano a operar o Boeing 787 e a TAM se preparando para ser a primeira companhia aérea a trazer o Airbus A350 XWB para a região.

Avianca Brasil entra oficialmente na Star Alliance

Avianca-Brasil-Star-Alliance-Event-Sao-Paulo-Guarulhos-Airport-Copyrighted-to-Aviation-News-Net-Do-Not-Use-For-Any-Purpose (2)

Na última quarta-feira, dia 22, a Avianca Brasil oficialmente entrou na maior aliança de companhias aéreas do mundo, a Star Alliance. Foi realizado um evento na Base Aérea de São Paulo, em Guarulhos.

Atualmente, a Avianca Brasil é a quarta maior companhia aérea brasileira e possui uma frota de 49 aeronaves. Presente em 23 cidades e operando em 24 aeroportos, a empresa oferece mais de 200 voos diários para os seus passageiros. Seus principais destinos são Brasília, Rio de Janeiro (Santos Dumont e Galeão) e São Paulo (Congonhas e Guarulhos).

História da Avianca Brasil:

A Avianca Brasil foi fundada em 1998 inicialmente como OceanAir. Iniciou suas atividades como empresa de táxi-aéreo, atendendo executivos e trabalhadores da indústria petrolífera de Macaé e Campos dos Goytacazes. No ano de 2002, recebeu autorização do antigo DAC (atualmente ANAC) para operar rotas em colaboração com a Rio Sul, do antigo grupo VARIG. Assim, passou a voar apenas para destinos regionais, porém rapidamente expandiu sua malha.

Em 2004, o empresário Germán Efromovich (75% de participação), junto com a Federación Nacional de Cafeteros de Colombia (de 50% passou a 25% de participação) adquiriram e reestruturaram a empresa colombiana Avianca, a mais antiga companhia das Américas e a segunda mais antiga do mundo.

Ao final do mesmo ano iniciou o projeto Super 100, com a aquisição de jatos Fokker 100 desativados pela American Airlines. A frota iniciou as operações em 2006, já no padrão de cores da Avianca, mas curiosamente foram denominados de MK-28.

Iniciou um agressivo plano de expansão, transferindo dois Fokker 50 adicionais da frota da Avianca e dando início aos voos internacionais, os quais eram operados por dois Boeing 767-300ER comprados da United Airlines e um Boeing 757-200 adquirido na França, esta aeronave posteriormente foi equipada com winglets.

O ano de 2008 foi um pouco confuso, marcado pelo code-share e compra das operações da BRA Transportes Aéreos, o que variou ainda mais a diversificada frota da companhia, que variava desde de pequenos Brasília até Boeing 767. Com a baixa rentabilidade e aumentos nos custos operacionais, a OceanAir manteve apenas os Fokker, eliminando voos regionais e internacionais.

Em 26 de abril de 2010, o nome da empresa foi definitivamente trocado para Avianca Brasil, com a padronização das cores. No mês de maio de 2013, recebeu a sua segunda aeronave, um Airbus A319. Meses se passaram e em novembro, foi entregue à empresa o seu primeiro Airbus A320 equipado com os sharklets, tornando a Avianca Brasil a segunda companhia aérea brasileira a utilizar esta variante da Família A320.

No mesmo ano, foi anunciada a fusão entre a Avianca (Brasil) e a Avianca Internacional (Avianca Holdings), que formaria uma só companhia e adotando uma única marca, que integraria também a Star Alliance.

Foi confirmado em dezembro de 2013 que a Avianca Brasil faria parte da Star Alliance a partir de 2014, trazendo algumas mudanças para dentro da empresa, como a unificação da marca com a Avianca International, mudança do sistema e a integração do Programa Amigo para o LifeMiles.

Posteriormente, a Avianca Brasil em abril de 2014 lançou oficialmente sua nova marca e operações, ambas unificadas com a AviancaTaca. No mesmo mês, houve o lançamento da Avianca Cargo (Brasil), com o recebimento do primeiro Airbus A330-200F.

História da Star Alliance:

A Star Alliance é a maior aliança de companhias aéreas do mundo, sitiada em Frankfurt, Alemanha. Criada em 14 de maio de 1997 por cinco das principais companhias aéreas do mundo, Air Canada, Lufthansa, Scandinavian Airlines, Thai Airways International e United Airlines. A aliança é a principal rede mundial de companhias aéreas, em termos de voos diários, destinos e países para onde voa e número de companhias aéreas membro.

Desta forma foi a primeira aliança global de companhias aéreas de “melhor atender as necessidades dos viajantes internacionais frequentes” e hoje é a maior aliança global do mundo. Sua logomarca representa as cinco linhas aéreas originais que fundaram a aliança.

Crescendo consideravelmente desde o seu início, atualmente a aliança possui 28 companhias aéreas membro que constituem uma malha com mais de 1.500 partidas diárias em 1.320 aeroportos nos 192 países em que atua.

A Lufthansa, uma das cinco companhias aéreas fundadoras da Star Alliance declarou: “A Lufthansa congratula-se com a admissão de um novo membro na Star Alliance.
Isso aumenta ainda mais a rede e beneficia os passageiros com ainda mais opções.”

Coletiva de imprensa:

DCIM100GOPROGOPR0230.

No início do evento, foi realizado uma conferência de imprensa, onde Mark Schwab (CEO da Star Alliance) e José Efromovich (Presidente da Avianca Brasil) discursaram, apresentando pontos importantes sobre a aliança e a companhia aérea.

Cortesia: Star Alliance.

Cortesia: Star Alliance.

“Adicionar a Avianca Brasil à nossa rede é um passo importante no aprimoramento da nossa proposta junto aos clientes da América Latina. O Brasil é o mais importante mercado de aviação no continente e nós estamos satisfeitos porque, a partir de hoje, nós podemos mais uma vez oferecer conexões domésticas no Brasil”, disse Mark Schwab, CEO da Star Alliance.

“Temos orgulho em fazer parte do maior grupo de alianças de companhias aéreas do mundo. Foram dois anos dedicados a este desafio. Alteramos nossa plataforma tecnológica, treinamos os profissionais e aperfeiçoamos os processos internos para garantir os melhores serviços para os nossos clientes. Estamos entusiasmados e prontos para colocar o Brasil de volta no mapa da Star Alliance”, disse Jose Efromovich, presidente da Avianca Brasil.

A Avianca Brasil é a companhia área que mais cresce no país. De 2010 a 2014, aumentou sua participação de mercado de 2,6% para 8,4%. Até maio de 2015, a companhia aérea manteve esta tendência, atingindo 9% de participação de mercado brasileiro.

Pela rede doméstica da Avianca Brasil, os clientes podem embarcar internacionalmente em 88 voos semanais em 12 aeroportos no Brasil, para destinos da América do Norte e do Sul, da Europa, Ásia e África. Ao conectarem-se por meio dos hubs da Star Alliance nestas regiões, os passageiros conquistam acesso à rede mundial fornecida pelas 28 companhias aéreas membro, oferecendo mais de 1.500 voos diários para 1.330 aeroportos em 192 países.

No que diz a respeito sobre o programa Amigo, os mais de 2,7 milhões de participantes do programa de fidelidade Amigo, agora podem fazer uso de todos os benefícios do FFP (Frequent Flyer Program) da Star Alliance. Eles poderão acumular e resgatar milhas em todos os voos das companhias aéreas parceiras. Os classificados na categoria Amigo Ouro ou Diamante podem acessar mais de 1.000 lounges ao redor do globo, utilizar os benefícios de bagagem (extra ou prioritária), balcões de check-in exclusivos e prioridade de embarque. O mesmo é válido para os clientes das companhias parceiras ao viajarem pela Avianca Brasil.

Na ocasião, a companhia aérea também apresentou o novo uniforme de seus colaboradores, em vigor desde o dia 01 de julho.

Ao final da conferência de imprensa, foi reproduzido um vídeo mostrando uma aeronave da Avianca Brasil nas cores da Star Alliance, quando o vídeo estava acabando, uma cortina abaixou, revelando e surpreendendo a todos com a aparição do avião.

Ao final da conferência de imprensa, foi reproduzido um vídeo mostrando uma aeronave da Avianca Brasil nas cores da Star Alliance, quando o vídeo estava acabando, uma cortina abaixou, revelando e surpreendendo a todos com a aparição do avião.

Após a coletiva de imprensa, os jornalistas foram convidados a visitar o Airbus A320 exposto. A frota da Avianca Brasil possui a certificação de categoria A no quesito de espaço do assento. Além disso, conta com entretenimento de bordo para cada passageiro e uma tomada USB para carregar dispositivos eletrônicos.

A entrada da Avianca Brasil na Star Alliance aumentou a presença da aliança no Brasil, possibilitando assim aos clientes uma maior opção de destinos. Os passageiros da Avianca Brasil desfrutam de um excelente atendimento a bordo e um conforto sem igual. A entrada da companhia aérea na aliança marca um começo de uma nova história no país.

Deutsche Lufthansa completes 60 years since its reformation

1950: The reformation of Deutsche Lufthansa

  • Convair CV-340

Deutsche Luft Hansa AG was founded in 1926 in Berlin. In 1953 a company called Aktiengesellschaft für Luftverkehrsbedarf (Luftag) was founded in Cologne, with many employees who had worked in the former Lufthansa. It was ordered four Convair CV-340 and four Lockheed L-1049 Super Constellation and established a maintenance base at Hamburg airport. One year later, Luftag bought the brand and the name Deutsche Lufthansa for 30,000 DM, thus continuing the tradition of a German flag carrier with the same name.

On 1 April 1955 Lufthansa got approval to start scheduled domestic flights, linking Hamburg, Düsseldorf, Frankfurt, Cologne, and Munich. International flights had started on May 15, 1955 to London, Paris and Madrid, followed by the Super Constellation’s flight to New York on June 1 and by all the South Atlantic from August 1956.

In August 1958, 15 Lockheed L-1049 Super Constellation and Lockheed L-1649 Starliner left Germany each week to Canada and United States. Three L-1049 Super Constellation were flying to South America, three for Tehran and one for Baghdad.

1960: The introduction of jet airplanes

  • Boeing 707

The jet’s era began in 1956 when the company signed a letter of intent for purchasing of four Boeing 707. A few months passed when Lufthansa began a study called “Paper Jet” to simulate flights of aircraft over the North Atlantic.

Officially on March 2, 1960 the company entered the jet’s era with the landing of its first Boeing 707 in Hamburg. On March 17, the airline started the 707 flights over the North Atlantic. In the following year the aircraft began operations to Asia – Bangkok, Hong Kong and Tokyo.

To complement the fleet, the Boeing 720B began the service on May 20, 1961 – a smaller long-range version of the 707.

The first Boeing 727 lands at Hamburg airport on March 21, 1964, named “Europe Jet” by the Lufthansa’s marketing department, easily defined by its high vertical stabilizer and three engines in the rear fuselage. In the same year, the company started the polar route to Tokyo (via Anchorage) with this new airplane.

Later on February 19, 1965, the company became the launch customer of the Boeing 737 and order 21 units, entering service in 1968. The technical concept has been significantly influenced by the Lufthansa’s engineering team. In addition of becoming the 737’s launch customer, Lufthansa became the first foreign launch customer of a Boeing airliner.

On June 27, 1966 the famous era of the wide-body jets started in the company with an order of three Boeing 747-100. In the following year, on October 06, the Super Constellation operated its last scheduled flight for Lufthansa.

The Boeing 737 commences scheduled services with Lufthansa. Dubbed the “City Jet”, it rapidly establishes short haul services.

1970-1980: The era of wide-body jets

  • Airbus A300-600

Lufthansa received its first Boeing 747-100 that landed in Frankfurt on March 09, 1970. On April 26, the company started the planned operations for the 747. It was Lufthansa’s first aircraft that have a flight entertainment system for the passengers. The airline was the first European company to take the Jumbo jet into service in 1970.

On April 19, 1972, the company became the first airline to operate the freighter version of the Boeing 747-200.

Two years later, Lufthansa began the operation of its first McDonnell-Douglas DC 10. It was used on long range routes for which the Boeing 747 would be uneconomic.

For the first time, Lufthansa order an Airbus aircraft. In June 1975 the company ordered three A300 with an option for another nine units. In the subsequent year, Lufthansa received its first A300 at the Airbus factory in Hamburg. In April the company started operating the A300 to routes within Germany and Europe.

The first non-stop flight from Frankfurt to Los Angeles was performed on April 3, 1977 due to the fact of a 747 SL equipped with special long-range tanks. In the same year, a large modernization program of the company’s fleet is approved. A total of over one billion DM, six 727, five 747 with an option for four more units were ordered.

On the following year, Lufthansa took a share in regional carrier DLT, later renamed Lufthansa CityLine.

In 1979 more purchases were made now with an order for 32 Boeing 737-200 Advanced and options for 25 units more. Also, another Airbus order were made, now for 25 A310 with options for 25 units more of this type.

Later the first Boeing 737-200 Advanced was delivered, with the total orders for this aircraft of 36 units.

Airbus handed over the first A310 aircraft in Toulouse to launch customers Lufthansa and Swissair.

The last flight of the Boeing 707 was scheduled for December 31, 1984.

More orders were made in 1985. At that time 33 aircraft were ordered and 38 options are made. The models chosen were Airbus A320, Airbus A300-600, Boeing 737-300 and Boeing 747-200.

On June 23, 1986 six Boeing 747-400 were ordered with an option for nine more units.

The pioneering did not stop. In the year of 1987 Lufthansa became the launch customer of the Airbus A340 with 15 units ordered plus an option for more 15 units.

Firm orders for 20 Boeing 737-300 and 737-500 were performed in 1988, with an option for 20 aircraft.

The first delivery of Boeing 747-400 happened in 1989, thus providing new routes and a greater comfort for the passengers.

On 22 September, the company ordered 22 Airbus A321, with an option for another 20 aircraft. Days later, the first A320 entered in service.

1990-2000: Further expansion

  • Airbus A380

In order to expand and modernize the fleet, more orders were made. At that time the models chose were the Airbus A310, Airbus A320, Boeing 737-500 and Boeing 747-400.

Airbus presents the long-range A340, whose design was strongly influenced by Lufthansa as the launch customer.

The Boeing 727 flew for Lufthansa for the last time on October 4, 1992.

In March 1993, the Airbus A340 entered in service with Lufthansa. On the following year the company received its first A321 on 27 January.

In December 1994 it was the last time that McDonnell Douglas DC-10 flew for Lufthansa.

Star Alliance, the first multilateral airline alliance in the world was created in Frankfurt in May 1997.

On 06 December 2001, Lufthansa announced an order for 15 Airbus A380, with 10 more options, which was confirmed on 20 December. The A380 fleet would be used for long haul flights from Frankfurt exclusively.

In June 2003, Lufthansa opened Terminal 2 at Munich’s Franz Josef Strauss Airport to relieve its main hub, Frankfurt, which was suffering from capacity constraints. It was one of the first terminals in Europe partially owned by an airline.

On 01 December, 2004, Lufthansa was the first airline to open a terminal specifically for the First Class, the famous First Class Terminal (FCT) in Frankfurt.

Demonstrating its pioneerism again, Lufthansa was the launch customer of the Boeing 747-8 Intercontinental. The airline ordered 20 units of the aircraft in December 6, 2006.

2010 up to the present: A new era in Lufthansa

  • Courtesy: Deutsche Lufthansa.

The company was the second European airline to operate the Airbus A380. Their first A380 was delivered on May 19, 2010, while their first 747-8I entered in service in 2012.

The classes have been updated, the new award-winning First Class was debuted in the Airbus A380. The new Business Class and the new Economy Class were debuted in the new Boeing 747-8I in 2012.

In 2012 Lufthansa announced a restructuring program called SCORE to improve its operating profit. As a part of the restructuring plan the company started to transfer all short-haul flights outside its hubs in Frankfurt, Munich and Düsseldorf to the company’s re-branded low-cost carrier Germanwings.

The year of 2013 was a year of new orders for Lufthansa. With an order of 59 aircraft that worth more than 14 billion euros. The models chosen were the Airbus A350-900 (25 aircraft) and the Boeing 777-9X (34 aircraft).

On 2014, Lufthansa introduced a new class of travel with its Premium Economy Class for the first time in 35 years. It was part of the largest product upgrade in the history of this company.

With a pioneering history and being one of the driving forces of the 747 program from the beginning, Lufthansa received in the last year the 1.500th Boeing 747 produced (D-ABYP).

To celebrate the World Cup in 2014, the company changed the famous logo of some aircraft to “Fanhansa”, as a tribute to football fans.

In 2015, with the celebration of 60 years since its reformation, Lufthansa painted one of its Boeing 747-8I (D-ABYT) with the retro painting of its aircraft in 1970.

Up to 2025, Lufthansa expects to receive its 263 aircraft ordered. This order has a market value of 42.2 billion dollars.

All media of this article is courtesy of Deutsche Lufthansa.

________________________________________________________________

Deutsche Lufthansa completa 60 anos de sua reformação

1950: A reformação da Deutsche Lufthansa

  • Convair CV-340

A Deutsche Luft Hansa A.G. foi fundada em 1926, na cidade de Berlim. No ano de 1953, uma empresa chamada Aktiengesellschaft für Luftverkehrsbedarf (Luftag) com sede em Colonia, com muitos funcionários que haviam trabalhado na antiga Lufthansa, encomendou quatro Convair CV-340 e quatro Lockheed L-1049 Super Constellation e estabeleceu uma base de manutenção no aeroporto de Hamburgo. Um ano após, a Luftag comprou esta marca e o nome Deutsche Lufthansa por 30 mil marcos. Assim, continuou a tradição de uma transportadora de bandeira alemã com o mesmo nome.

No dia primeiro de abril de 1955 a Lufthansa obteve aprovação para iniciar os seus voos domésticos programados conectando Hamburgo, Düsseldorf, Frankfurt, Colonia e Munique. Os voos internacionais iniciaram-se em 15 de maio de 1955 para Londres, Paris e Madri, seguidos pelos voos do Super Constellation para Nova York em 01 de junho e, por todo Atlântico Sul, a partir de agosto de 1956.

Em agosto de 1958, 15 Lockheed L-1049 Super Constellation e Lockheed L-1649 Starliner partiam da Alemanha a cada semana para o Canadá e Estados Unidos. Três L-1049 Super Constellation voavam para a América do Sul, três para Teerã e um para Bagdá.

1960: A introdução dos aviões a jato

  • Boeing 707

A era dos jatos começou em 1956 quando a companhia assinou uma carta de intenção para a compra de quatro Boeing 707. Alguns meses se passaram quando a Lufthansa iniciou o estudo denominado “Paper Jet” para simular voos de aviões sobre o Atlântico Norte.

Oficialmente em 02 de março de 1960 a empresa entrou na era dos jatos com o pouso do seu primeiro Boeing 707 em Hamburgo. Dias se passaram até que em 17 de março houve o início dos voos do 707 sobre o Atlântico Norte. No ano seguinte a aeronave iniciou as operações para Ásia – Bangcoc, Hong Kong e Tóquio.

Para complementar a frota, o Boeing 720B, uma versão menor de longo alcance do 707, entra em serviço na Lufthansa em 20 de maio de 1961.

Em 21 de março de 1964 o primeiro Boeing 727, nomeado “Europa Jet” pelo departamento de marketing da Lufthansa, aterrissou no aeroporto de Hamburgo e foi facilmente caracterizado pelo seu alto estabilizador vertical e três motores na fuselagem traseira. No mesmo ano, a companhia iniciou a rota polar para Tóquio (via Anchorage) com este novo avião.

Posteriormente em 19 fevereiro de 1965, a empresa tornou-se cliente lançador do Boeing 737 e encomendou 21 unidades que entraram em serviço em 1968. O conceito técnico desta aeronave foi significativamente influenciado pela equipe de engenharia da empresa. Além de se tornar o cliente lançador do 737, a Lufthansa se tornou o primeiro cliente lançador estrangeiro de um avião de passageiros da Boeing.

Assim, iniciou-se em 27 de junho de 1966 a era dos famosos “wide-body jets” na empresa com um pedido de compra de três Boeing 747-100. No ano seguinte, em 06 de outubro, o Super Constellation realizou seu último voo programado pela Lufthansa.

O Boeing 737 começou a ser operado pela companhia em 10 de fevereiro de 1968. Apelidado de “City Jet”, rapidamente estabeleceu os voos de curta distância da empresa.

1970-1980: A era dos jatos wide-body

  • Airbus A300-600

A Lufthansa recebeu o primeiro Boeing 747-100 que aterrissou em Frankfurt em 09 de março de 1970. Em 26 de abril a empresa iniciou as operações programadas para o 747. Foi a primeira aeronave da Lufthansa a ter um sistema de entretenimento de bordo para os passageiros. Em 1970, a Lufthansa tornou-se a primeira companhia aérea europeia a operar o novo avião que chamavam de Jumbo.

Em 19 de abril de 1972, a empresa se torna a primeira companhia aérea a operar a versão cargueira do Boeing 747-200.

Dois anos após, a Lufthansa iniciou a operação do seu primeiro McDonnell-Douglas DC 10. Ele foi utilizado em rotas de longo alcance para as quais o Boeing 747 não teria viabilidade econômica.

Pela primeira vez, a Lufthansa encomendou aeronaves da Airbus. Em Junho de 1975 a empresa encomendou três A300 com opção de compra para outras nove unidades. No ano seguinte, a Lufthansa recebeu o seu primeiro A300 na fábrica da Airbus, em Hamburgo. No mês de Abril, a empresa iniciou a operação do A300 para rotas na Alemanha e Europa.

O primeiro voo non-stop de Frankfurt para Los Angeles foi realizado em 03 de abril de 1977 graças a um Boeing 747 SL equipado com tanques para voos de longo alcance. No mesmo ano, um grande programa de modernização da frota da empresa foi aprovado. No total de mais de um bilhão de marcos, foram encomendados seis 727 e cinco 747 com opção para mais quatro unidades.

No ano seguinte a Lufthansa passou a ter participação na transportadora aérea regional DLT, mais tarde renomeada para Lufthansa CityLine.

Em 1979, mais encomendas foram feitas, agora com um pedido para 32 Boeing 737-200 Advanced e opção para mais 25 unidades. Além disso, outra encomenda à Airbus foi feita, agora para 25 A310 com opção para mais 25 unidades deste tipo.

Posteriormente o primeiro Boeing 737-200 Advanced foi entregue, totalizando uma encomenda de 36 unidades para esta aeronave.

A Airbus entrega na sua fábrica em Toulouse o primeiro A310, no ano de 1983, para os seus dois clientes lançadores, Lufthansa e Swissair.

O último voo do Boeing 707 pela Lufthansa foi realizado em 31 de dezembro de 1984.

Mais encomendas de outras aeronaves foram feitas em 1985, desta vez 33 aeronaves foram encomendadas e 38 opções de compra foram feitas. Os modelos escolhidos foram Airbus A320, Airbus A300-600, Boeing 737-300 e Boeing 747-200.

Em 23 de junho de 1986, o Boeing 747-400 foi encomendado com pedidos para seis aeronaves com opção para mais nove unidades.

O pioneirismo não parou ai. No ano de 1987 a Lufthansa se tornou o cliente lançador do Airbus A340 com 15 unidades pedidas e mais 15 opções de compra.

Pedidos firmes de 20 Boeing 737-300 e 737-500 foram realizados em 1988, com uma opção para 20 aeronaves.

A primeira entrega do Boeing 747-400 aconteceu em 1989, possibilitando desta forma novas rotas e maior conforto aos passageiros.

No dia 22 de setembro, a empresa encomendou 22 Airbus A321, com uma opção para mais 20 aeronaves. Dias depois, o primeiro A320 entrou em serviço.

1990-2000: Uma nova expansão

  • Airbus A380

Visando a ampliação e modernização da frota, mais ordens e pedidos foram feitos. Desta vez, os modelos escolhidos foram o Airbus A310, Airbus A320, Boeing 737-500 e Boeing 747-400.

A Airbus apresenta o A340 de longo alcance cujo projeto foi muito influenciado pela Lufthansa como o cliente lançador.

A última vez que o Boeing 727 voou pela Lufthansa, foi em 04 de outubro de 1992.

Em março de 1993, o Airbus A340 entrou em serviço com a Lufthansa. No ano posterior, foi a vez da empresa receber o seu primeiro A321 em 27 de janeiro.

No mês de dezembro de 1994 o último McDonnell-Douglas DC 10 voou pela Lufthansa.

A Star Alliance, a primeira aliança multilateral de companhias aéreas do mundo, foi criada em Frankfurt em maio de 1997.

Em 6 de dezembro de 2001, a Lufthansa anunciou uma encomenda de 15 Airbus A380, com mais 10 opções, o que foi confirmado em 20 de dezembro. A frota A380 passou a ser usada para voos de longo curso, a partir de Frankfurt exclusivamente.

A Lufthansa inaugurou o Terminal 2 do Aeroporto Franz Josef Strauss de Munique para aliviar seu principal hub, Frankfurt, que estava sofrendo de restrições de capacidade em junho de 2003. Foi um dos primeiros terminais na Europa partilhado com uma companhia aérea.

Em 01 de dezembro de 2004, a Lufthansa foi a primeira companhia aérea a abrir um Terminal especificamente para a Primeira Classe, o famoso First Class Terminal (FCT) em Frankfurt.

Novamente com seu pioneirismo, a Lufthansa foi o cliente lançador do Boeing 747-8 Intercontinental fazendo um pedido de 20 unidades da aeronave em 06 de dezembro de 2006.

2010 até hoje: Uma nova era na Lufthansa

  • Courtesy: Deutsche Lufthansa.

A empresa foi a segunda companhia aérea européia a operar o Airbus A380. O seu primeiro A380 foi entregue em 19 de maio de 2010, enquanto o seu primeiro 747-8I entrou em serviço em 2012.

As classes foram atualizadas. A premiada nova Primeira Classe estreou no Airbus A380. A nova Classe Executiva e a nova Classe Econômica vieram no novo Boeing 747-8I em 2012.

Também em 2012, a Lufthansa anunciou um programa de reestruturação chamado SCORE para melhorar seu lucro operacional. Como parte do plano de reestruturação, a empresa começou a transferir todos os vôos de curta distância para fora de seus centros de conexões em Frankfurt, Munique e Düsseldorf para uma companhia aérea subsidiária sua, de baixo custo, a Germanwings.

O ano de 2013 foi um ano de novos pedidos para a Lufthansa. Com a encomenda no valor de 14 bilhões de euros de 59 aeronaves. Os modelos escolhidos foram o Airbus A350-900 (25 aeronaves) e o Boeing 777-9X (34 aeronaves).

No ano de 2014, a Lufthansa introduziu uma nova classe de viagem com a sua nova Classe Econômica Premium, pela primeira vez em 35 anos. Isto foi parte da maior atualização de produto na história da Lufthansa.

Com uma história pioneira e sendo uma das forças motrizes do Programa 747 desde o início, a Lufthansa recebeu no ano passado o 1.500º Boeing 747 produzido (D-ABYP).

Para comemorar a Copa do Mundo de 2014, a companhia trocou a famosa logo de algumas aeronaves para “Fanhansa”, uma homenagem aos fãs do futebol.

Em 2015, com a comemoração aos 60 anos de sua reformação, a Lufthansa pintou um de seus Boeing 747-8I (D-ABYT) com a sua pintura retro de suas aeronaves no ano de 1970.

Até 2025, a Lufthansa espera receber suas 263 aeronaves encomendadas que possuem um valor de mercado de 42.2 bilhões de dólares.

Toda a mídia deste artigo é cortesia da Deutsche Lufthansa.

Air Canada starts its operations to Rio de Janeiro

Last Thursday (11), Air Canada started to fly to Rio de Janeiro, the Boeing 767-300ER is being used on the new route, which will operate three weekly flights between Toronto and the marvelous city.

Flight Departs Arrives Day of week
AC098 Toronto 22:55 Rio de Janeiro 12:25 +1 day Tuesday, Thursday, Saturday
AC099 Rio de Janeiro 21:45 Toronto 5:45 + 1 day Wednesday, Friday, Sunday

Yesterday, Air Canada held an event in Rio de Janeiro International Airport to celebrate the start of its operations to the city.

At 02:00 PM (local time) the aircraft touched Brazilian ground, the press and guests participated of the water cannon salute of the first flight.

After the ceremony the sales director of Air Canada, Virgilio Russi, received the press and commented some key facts about the company.

  • Rio de Janeiro is the largest city in Latin America which didn’t have flights of the airline. Russi added saying that the flights will become daily in 2015;
  • The Boeing 787 Dreamliner fleet will replace the Boeing 767 fleet of Air Canada, since the Dreamliner has a greater range and flies over ten hours non stop;
  • The interest of the company to fly the Dreamliner to Rio de Janeiro is in early 2016;
  • The airline is receiving two 787 Dreamliner every month and has a total of 37 Dreamliner ordered with an option for 60 aircrafts;
  • The Toronto route – São Paulo has always been one of the best routes of Air Canada;
  • Air Canada is the largest international airline which operates in the United States. From Toronto to the US there are 57 daily flights.

Business Class:

Courtesy: Air Canada.

Courtesy: Air Canada.

With 24 seats in a 1-1-1 configuration, the class counts with private and spacious suites. Generous “pods” offer to the passenger fully reclining seats with 191 centimeters long and 53 centimeters wide.

The main features of the seat are: 12″ touch-screen TV, adjustable head and leg rest, great entertainment system, individual power supply, lumbar support and massage function, noise-cancellation headphones, USB port for charging and great entertainment system.

To reduce the feeling of jetlag the cabin lighting is adjusted and syncronized with the time zones.

But that’s not all. A large pillow, plush duvet and amenities kit are offered, further enhancing the wellbeing during the flight.

With a gourmet cuisine and a selection of wines, the menu of the Business doesn’t leaves nothing to be desired.

Economy Class:

Courtesy: Air Canada.

Courtesy: Air Canada.

With a 2-3-2 configuration, the class offers 187 seats.

The main features of the seat are: a comfortable pillow and blanket, personal 8.9” touch-screen TV, adjustable, foldable headrest for a better sleeping position, great entertainment system, in-seat power, single-pin audio jack, the seat reclines 11,43 centimeters and USB port for charging.

The washrooms features Fruits & Passion products.

The cabin also features a synchronized lighting to reduce the feeling of jetlag.

Technical Specifications:

Engines PW 4060-2 or GE CF6-80C2
Cruise Speed 853 km/h (530 mph)
Range 10,549 km (6,555 miles)
Cruise Altitude 11,227 m. (37,000′)
Cargo Capacity 11,600 kg (25,573 lb)
Fuel Capacity 90,547 l. (23,920 usg)
Length of Aircraft 55 m. (180′ 3″)
Wing Span 47.6 m. (156′ 1″)
Height 15.8 m. (52′)

Why fly with Air Canada?

air-canada-boeing-767-300-er-first-flight-to-rio-de-janeiro-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose (7)

  • The airline has four stars in the SKYTRAX rank;
  • It was voted the Best Airline in North America for five consecutive years;
  • It is among the top ten airlines in the world;
  • Has a convenient flight schedule for the Business and Leisure passenger.

Final Considerations:

With the start of operations to Rio de Janeiro, Air Canada has reinforced its presence in Brazil and excellence in service.

Thanks to the company, Brazil and Canada are increasingly connected.

The time of the landing in the marvelous city offers to the passengers convenient connections from the Rio de Janeiro International Airport with Air Canada’s partner companies. In addition, the company opened another route option to North America.

________________________________________________________________

Air Canada inicia operação para o Rio de Janeiro

Na última quinta-feira (11) a Air Canada começou a voar para o Rio de Janeiro. O Boeing 767-300ER está sendo utilizado na nova rota a qual será operada com três frequências semanais entre Toronto e a cidade maravilhosa.

Voo Partida Chegada Dias da semana
AC098 Toronto 22:55 Rio de Janeiro 12:25 +1 dia Terça, Quinta, Sábado
AC099 Rio de Janeiro 21:45 Toronto 5:45 + 1 dia Quarta, Sexta, Domingo

Ontem, a Air Canada realizou um evento no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro para celebrar o início de suas operações para a cidade.

Às 14:00 (horário local) a aeronave tocou o solo brasileiro, a imprensa e convidados acompanharam de perto uma cerimônia de batismo do primeiro voo.

Após a cerimônia, o diretor de vendas da Air Canada Virgilio Russi recebeu a imprensa e comentou alguns fatos importantes sobre a empresa.

  • O Rio de Janeiro é  a maior cidade da América Latina que ainda não tinha voos da companhia e Russi ressaltou que o voo irá ser tornar diário em 2015;
  • A frota Boeing 787 Dreamliner irá substituir a frota Boeing 767 da Air Canada por ter um alcance maior e voar mais de dez horas seguidas;
  • É de interesse voar o Dreamliner para o Rio de Janeiro no começo de 2016;
  • A companhia está recebendo dois 787 Dreamliner por mês e tem um total de 37 Dreamliner pedidos com uma opção para 60 aeronaves;
  • A rota Toronto – São Paulo sempre foi uma das melhores rotas da Air Canada;
  • A Air Canada é a maior companhia internacional que opera nos Estados Unidos. Desde Toronto até os EUA, são 57 voos diários.

Business Class:

Cortesia: Air Canada.

Cortesia: Air Canada.

Comportando 24 assentos em uma configuração 1-1-1, a classe apresenta suítes privadas e espaçosas. Generosos “pods” oferecem aos passageiros assentos totalmente reclináveis com 191 centímetros de comprimento e 53 centímetros de largura.

As principais características do assento são: apoio lombar e função de massagem, encosto de pernas e cabeça ajustável, fones de ouvido com cancelamento de ruído, porta USB, tela de 12 polegadas sensível ao toque, tomada elétrica e vasto sistema de entretenimento.

Para aliviar o jetlag, a iluminação da cabine é adaptada em sincronia com os fusos horários.

Mas isso não é tudo. Um grande travesseiro, um edredom de plush e um kit de amenidades são oferecidos, aumentando ainda mais o bem-estar durante o voo.

Contando com uma cozinha gourmet e um seleção de vinhos, o menu da Business não deixa a desejar.

Classe Econômica:

Cortesia: Air Canada.

Cortesia: Air Canada.

Disposta em uma configuração 2-3-2, a classe comporta 187 assentos.

As principais características do assento são: confortável travesseiro e cobertor, encosto de cabeça ajustável, dobrável para uma melhor posição de dormir, entrada para fones de ouvido, porta USB, tela de 8,9 polegadas sensível ao toque, reclinação de 11,43 centímetros, tomada elétrica e vasto sistema de entretenimento.

Os produtos oferecidos no banheiro da aeronave são da marca Fruits & Passion.

A cabine também conta com uma iluminação adaptada e em sincronia com os fusos horários para evitar o jetlag.

Especificações Técnicas:

Motores PW 4060-2 ou GE CF6-80C2
Velocidade de Cruzeiro 853 km/h (530 mph)
Alcance 10,549 km (6,555 miles)
Altitude de Cruzeiro 11,227 m. (37,000′)
Capacidade de Cargo 14,800 kilos (32,628 lbs)
Capacidade de Combustível 90,547 l. (23,920 usg)
Comprimento 55 m. (180′ 3″)
Envergadura da Asa 47.6 m. (156′ 1″)
Altura do Solo 15.8 m. (52′)

Por que voar com a Air Canada?

air-canada-boeing-767-300-er-first-flight-to-rio-de-janeiro-copyrighted-to-aviation-news-net-do-not-use-for-any-purpose (7)

  • Ela possui quatro estrelas no ranking da SKYTRAX;
  • Foi eleita a Melhor Empresa Aérea da América do Norte por cinco anos consecutivos;
  • Está entre as dez melhores companhias aéreas do mundo;
  • O horário de voo é conveniente ao passageiro Business e Leisure;

Considerações Finais:

Com o início das operações para o Rio de Janeiro, a Air Canada reforçou sua presença no Brasil e a excelência em atendimento.

Graças à companhia, o Brasil e o Canadá estão agora cada vez mais conectados.

O horário de aterrissagem do voo na cidade maravilhosa oferece aos passageiros conexões convenientes a partir do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro com empresas parceiras da Air Canada. Além disso, a companhia abriu mais uma opção de rota para a América do Norte.