Boeing demonstra o primeiro GPS da Honeywell categoria III com precisão de pouso

Cortesia: Honeywell.

Cortesia: Honeywell.

A Honeywell Aerospace e a Boeing demonstraram como uma aeronave pode utilizar a tecnologia da Honeywell de última geração que permite precisão na navegação e pouso, realizar operações bem-sucedidas em condições climáticas desfavoráveis com um limite preciso de altura e uma visualização mínima da pista de 150 pés ou Categoria III.

A Honeywell e a Boeing mostraram com sucesso como os aeroportos que possuem problemas frequentes de visibilidade, como nuvens baixas e neblina, serão capazes de implementar as versões futuras do SmartPath que permite pousos da Categoria III (CAT III) para reduzir atrasos e fazer desvios de más condições climáticas.

“Hoje o espaço aéreo está lotado e vai piorar nos próximos dez anos. Companhias aéreas e aeroportos precisam de um sistema mais eficiente e moderno para lidarem com o tráfego de aviões durante a aproximação e o pouso, principalmente quando as condições meteorológicas não estão boas e os pilotos precisam operar em condições CAT III”, diz Bob Smith, diretor de tecnologia da Honeywell Aerospace. “A Honeywell criou e testou um sistema de precisão de pouso que irá não somente aliviar o tráfego intenso do aeroporto como também dará aos pilotos a habilidade de pousar quando não conseguirem visualizar a pista, ajudando os aeroportos a serem mais eficientes”.

Utilizando o SmartPath (Ground-Based Augmentation System ou GBAS) da Honeywell, a Boeing fez o teste no seu ecoDemonstrator 787, uma aeronave de teste que em 2014 serviu para avaliar mais de 25 tecnologias que reduzem os problemas ambientais gerados pela aviação, para completar 12 aproximações e pousos CAT III, na estação de testes em Moses Lake, Washington. A aeronave também utilizou o Receptor Integrado de Navegação (INR) da Honeywell, que integra os instrumentos de pouso, faixa VHF omnidirecional com sinalizador de alcance e sistema de pouso GBAS em uma unidade mais compacta e eficiente.

“Usando a capacidade das aeronaves de hoje e a precisão dos sistemas de navegação globais, as aeronaves conseguem pousar em condições climáticas com baixa visibilidade”, afirma Jeanne Yu, diretor de performance ambiental da Boeing Aviões Comerciais. “Isso melhora a eficiência operacional, reduz o gasto de combustível e também a emissão de dióxido de carbono”.

Para concluir com êxito as aproximações CAT III, que envolvem pousos em condições difíceis, incluindo neblina, nuvens, chuvas entre outros fenômenos meteorológicos, a Honeywell atualizou seus softwares 787 INR e SLS-4000 SmartPath GBAS para dar suporte ao monitoramento adicional CAT III e requisitos disponíveis.

Sistema de Navegação de Precisão da Honeywell

A Honeywell tem fornecido tecnologia de navegação de última geração para aeroportos e companhias aéreas durante décadas. Seu sistema de pouso de precisão SmartPath fornece aos aeroportos e companhias aéreas uma solução de custo eficaz que permite aumentar a capacidade aeroportuária, diminuir o ruído do tráfego aéreo, reduzir atrasos relacionados às condições climáticas e custos operacionais. O SmartPath faz isso usando sinais do Sistema de Posicionamento Global, que fornece aos operadores de aeronaves um sinal de navegação digital muito preciso para aproximações e pousos.

O SmartPath está sendo utilizado atualmente em voos geradores de receita e foi desenvolvido para suportar atualizações de pousos e aproximações CAT III.

Assim, a Honeywell continua a implementar suas novas tecnologias em seus produtos aéreos de navegação, como o Receptor Multimodal Integrado que tem a habilidade de fazer atualizações via software.

Fonte: Honeywell.

Leave a Reply