Air New Zealand iniciará voos charter para a Antártica

“Versão em Português / The English version is after the Portuguese version.”

Créditos: Montague Smith

Créditos: Montague Smith

A Air New Zealand planeja um voo de demonstração para a Antártica em Outubro de 2013. A companhia aérea irá operar um Boeing 767-300 de Auckland (AKL-NZAA) para uma pista de gelo perto da Estação McMurdo, como parte de um voo de teste para determinar a viabilidade de usar a aeronave para voar cientistas e outros profissionais de apoio ao continente gelado. Tanto a Nova Zelândia quanto os Estados Unidos mantêm estações de pesquisa que terão a possibilidade de ser servidas pela aeronave.

Voar para a Antártica não é incomum. Atualmente, a Força Aérea dos EUA e da Nova Zelândia operam voos regulares da Nova Zelândia para o Pegasus (pista de gelo perto de McMurdo). Muitas outras nações também operam voos para suas respectivas estações. A aeronave que geralmente opera a rota Nova Zelândia – Antártica é o Boeing C-17. Mas, ao longo de décadas a USAF voou com o Lockheed C-141 e C-5 Galaxy. O C-130 Hercules equipado com esqui também voa para o continente mais seco do mundo, bem como voos domésticos para remotas estações de pesquisa. A Força Aérea da Nova Zelândia atualmente opera um Boeing 757 para alguns voos, e o Programa Antártico da Austrália opera um Airbus A319.

A pista de gelo Pegasus está localizada na Plataforma de Gelo Ross, perto da estação McMurdoo (que possui uma população durante o verão austral em mais de 1,000 pessoas).

O voo de demonstração da Air New Zealand está marcado para o dia 05 de Outubro, e se tudo correr bem, a companhia aérea deverá operar mais dois voos fretados para o continente gelado durante o verão. O 767 não requer alterações ou equipamento especial para realizar o voo para a Antártica. A pista de gelo Pegasus é mantida com equipamentos pesados sobre ela, o ​​que prepara a superfície para fornecer alguma aderência aos pneus do avião.

Se for aprovado para os voos charter, a Air New Zealand irá voar cientistas e equipe de apoio, tanto para a Nova Zelândia quanto para os programas antárticos. Mas não espere um voo turístico em breve.

This slideshow requires JavaScript.

Fonte: Wired

________________________________________________________________

Air New Zealand Begins Charter Flights to Antarctica

Credits: Montague Smith

Credits: Montague Smith

Air New Zealand is planning a demonstration flight to Antarctica in October, 2013. The airline will fly one of its Boeing 767-300s from Auckland to an ice runway near McMurdo Station as part of a proving flight to determine the feasibility of using the jumbo jet to fly scientists and other support personnel to the chilly continent. Both New Zealand and the United States maintain year-around research stations that would be served by the flights.

Flying to Antarctica is not unusual. Currently, the US Air Force and Royal New Zealand Air Force operate regular flights from New Zealand to the Pegasus ice runway near McMurdo. Many other nations also operate flights to their respective stations. The workhorse of the Antarctic route from New Zealand is the Boeing C-17. But over the decades the USAF has flown Lockheed C-141s and the massive C-5 Galaxy. Ski-equipped C-130 Hercules continue to fly to and from the driest continent on earth, as well as domestic flights to remote research stations. Airliners are also used for flying people to the southernmost continent. The Royal New Zealand Air Force currently uses a Boeing 757 for some flights, and Australia’s Antarctic program uses an Airbus A319.

The Pegasus ice runway is located on the Ross Ice Shelf near McMurdoo station (which has an austral summer population of more than 1,000).

Air New Zealand’s demonstration flight is scheduled for 5 October, and if all goes well the airline is expected to operate two more chartered flights to “the ice” later during the summer. The 767 requires no changes or special equipment to make the flight to Antarctica. The Pegasus ice runway is maintained with heavy equipment that grooms it flat and prepares the surface to provide some grip for the aeroplane’s tires.

If approved for the charter flights, Air New Zealand will fly scientists and support personnel for both New Zealand and US Antarctic programs. But don’t expect to take a tourist flight anytime soon.

This slideshow requires JavaScript.

Source: Wired.

Leave a Reply